domingo, 15 de maio de 2011

Maria Gadú encanta público em Araraquara

 Chocolate e refrigerante. É o que a cantora paulistana Maria Gadú exigiu em seu camarim durante a Virada Cultural em Araraquara na madrugada de domingo (15). Gadú subiu ao palco com mais de uma hora de atraso, com um forte esquema de segurança que impediu que a própria imprensa se aproximasse da artista.

Mesmo assim, o público não se importou. Maria Gadú cantou cerca de 20 músicas num show de 1h30. Os sucessos são de seu primeiro CD, lançado em 2009. De acordo com a organização do evento, a apresentação contou com a presença de aproximadamente 14 mil pessoas no entorno da Praça Pedro de Toledo.

Show
Passava da uma da manhã quando Maria Gadú entrou no palco com a música “Encontro”, seguida de “Bela Flor” e o clássico sucesso que embalou a carreira da cantora após estourar durante a novela global “Viver a Vida”, a conhecida “Shimbalaiê”. Gadú também interpretou “Lanterna dos Afogados”, dos Paralamas do Sucesso e agitou o público com a composição de Adoniran Barbosa, Trem das Onze.

No fim da apresentação, ainda cantou sua interpretação da música de Kelly Key “Baba” e “1406”, dos Mamonas Assassinas.

Fãs
Gadú levantou suspiros de seu público, em sua maioria, formado por mulheres. Na primeira fila, encontramos Luan Emílio, estudante de 22 anos, o único homem que estava próximo da cantora. “Gadú é a esperança da música popular brasileira. Adoro seu estilo e sua maneira de cantar”, expõe.

Algumas fãs levaram cartazes demonstrando amor e admiração pela compositora. Apesar da movimentação excessiva causada pelas tietes, os seguranças não tiveram muitos problemas para conter a euforia do público.

Carreira
Maria Gadú foi introduzida à prática musical ainda na infância. Aos 7 anos, já gravava músicas em fitas cassetes. 

Fez poucos meses de aulas de violão, longe do suficiente para ler partituras, mas o necessário para criar suas próprias canções. Começou a fazer shows em bares e festas com apenas 13 anos. Mudou-se para o Rio de Janeiro no início de 2008, quando começou a tocar em bares da Barra da Tijuca e da Zona Sul.

Sua carreira passou a ter ascensão ao despertar atenção de famosos ligados ao meio musical, como Caetano Veloso, Milton Nascimento, João Donato, dentre outros. Gadú ganhou destaque ao interpretar "Ne me quitte pas", de Jacques Brel, para o diretor Jayme Monjardim, que estava em fase de pré-produção da minissérie Maysa - Quando Fala o Coração. A música acabou entrando para a trilha sonora da trama, levando a música da intérprete ao conhecimento nacional.

Em 2010, a cantora ganhou disco de ouro, após vender mais de 50 mil cópias de seu primeiro disco.

Fonte: EPTV

Nenhum comentário:

Postar um comentário