segunda-feira, 9 de maio de 2011

Primeira vez que Maria Gadú cantou ao lado se Saulo e sua gangue

Foto: Eládio Machado/Terra
Maria Gadú foi uma das convidadas da noite  Foto: Eládio Machado/Terra
Era pouco mais de 23h30 quando a banda Eva subiu ao palco do Club Clash, em São Paulo, na noite de quarta-feira (4). Em um clima intimista, Saulo Fernandes e sua gangue receberam Maria Gadú, Nando Reis e Martin e Eduardo, músicos da cantora Pitty, para o que ele chamou de "festa entre amigos". "A gente veio aqui hoje para aprender. Foram mais ou menos seis meses pensando nesse encontro", disse.

A casa não estava cheia. Mas a ideia não era lotá-la mesmo. Foram colocados apenas 400 ingressos à venda. Desses, cerca de 100 ainda restavam na bilheteria momentos antes do início show. Mistério do Planeta foi a escolhida para dar início à apresentação, recheada de canções bastante conhecidas de diversos artistas.

O público vibrava já nos primeiros acordes de cada uma das músicas, algumas mais animadas, outras mais românticas. Encontro Marcado e Esse Amor são algumas das que embalaram os casais. Abraçados, eles pareciam degustar cada verso de suas letras.

Apesar de uniformemente envolvente, o show teve seus momentos de ápice com a chegada dos convidados no microfone. O primeiro foi com Maria Gadú, que, ao lado de Saulo, entoou a canção que faz parte de suas apresentações: Eva. Nando Reis, ao assumir sua posição no palco, também causou frisson.
Ao fim, Saulo agradeceu a presença de todos que fizeram daquela, uma noite especial. Como se estivesse rodeado somente por pessoas muito próximas, disse: "Obrigado, queridos. Obrigado, amigos".
 
Primeira Vez
 
Essa foi a primeira vez que Maria Gadú cantou ao lado se Saulo e sua gangue. Momentos antes do show, empolgada, a cantora disse que gosta do Eva desde seus primórdios. "É bom para caramba. Sou fã desde a primeira formação. Curto todas as músicas: com Ivete, com Saulo, com tudo", conta. Mas, 'bom para caramba' como? Como fã, musicista ou amiga? "Como os três. Não dá para separar uma coisa da outra", completa.
Com Nando Reis, porém, Gadú já havia se apresentado antes. "Mas mesmo que tivesse sido mil vezes, não dá para se acostumar. Não dá para se acostumar com quem a gente admira. Você admira sua mãe? Você já se acostumou com ela, com cada coisa que ela fala para você? Então", explica.
 
Pitty

A noite foi de estreia também para os músicos Martin (guitarrista) e Eduardo (baterista), que tocam com a Pitty. "Nosso disco caiu nas mãos do Saulo e daí surgiu o convite do show. Foi uma surpresa que ao chegarmos aqui para passar o som, eles já tinham tirado uma música nossa", conta Martin, sobre a canção Dezenove Vezes Amor, que dá título ao álbum de debute da dupla.

Mas levar paralelamente a os dois projetos não é tarefa fácil. "Tem época que temos muitos shows com a Pitty, aí não dá. Mas quanto temos algumas brechas, marcamos nossos shows", explica Duda. "O grande lance é não mirar nos dias que a gente sabe que não vai rolar. Sabe que nem em uma festa, quando você vê a garota mais bonita? Então, você já pensa: 'aquela não vai rolar'", ilustra, com bom humor, Martin. "Aí a gente mira nos outros dias. Sexta e sábado não dá. Quinta e domingo já são mais prováveis. Terça também. Melhor ter companhia na terça que dormir sozinho, não é verdade?", diz.

Fonte: Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário