sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Maria Gadú será a responsável por rodar o Peão da Casa Própria na 18ª edição do Prêmio Multishow

Você se lembra da Porta da Esperança, do Peão da Casa Própria, da Porta dos Desesperados, quadros clássicos da televisão brasileira nas décadas passadas? Caso a resposta seja positiva, terá a oportunidade de relembrá-los na próxima terça-feira (6), quando será realizada a 18ª edição do Prêmio Multishow da Música Brasileira. "Será um programa todo temático, uma coisa meio revival, com temas dos anos 70, 80 e 90", explicou o roteirista da premiação, o humorista Fábio Porchat, em entrevista nesta sexta (2). "Programas do Chacrinha, Silvio Santos, Xuxa, esses todos das antigas, serão representados",

Essa não será essa a única novidade da premiação que homenageia os principais destaques da música dos últimos 12 meses. Isso porque, para esta edição, Fábio pretende mudar de vez um padrão repetido de forma incansável por eventos do tipo, nos quais os artistas que apresentam os premiados estabelecem conversas com diálogos prontos, fingindo ser amigos de longa data.

"Sabe aquela coisa, entra a Fernanda Lima e o Luan Santana dizendo, 'olá Fernanda, tudo bem?", "ah, tudo ótimo, Luan. Que bom que você está aqui hoje'? Eu tentei tirar isso, porque sempre fica sem graça. De fato, não só não funciona, como atrasa o prêmio". Segundo ele, desta vez, o roteiro será totalmente focado em Bruno Mazzeo, humorista responsável pela apresentação do evento. "É muito mais divertido deixar todas as piadas para ele, que é o cara que sabe fazer comédia".

A participação dos artistas, no entanto, faz sim parte do roteiro, mas de uma maneira diferente, com foco nos esquetes criados pelo autor. A cantora Maria Gadú, por exemplo, deverá ser a responsável por rodar o Peão da Casa Própria, enquanto Sérgio Mallandro apresentará a Porta dos Desesperados.

Fábio Porchat escreve pelo segundo ano consecutivo o roteiro da premiação anual da música brasileira
Humor na moda

Apesar de atualmente dar grande espaço ao humor em sua grade de programação, e de o foco no gênero durante a premiação ser nada além do que um reflexo disso, Fábio afirmou não ter sido tão automática a mudança de estilo do Prêmio Multishow. "Toda premiação sempre tenta colocar um grauzinho de humor que nunca funciona muito bem. E essa é uma batalha que eu e o Bruno estamos travando há muito tempo no canal, de fazer um prêmio com uma cara engraçada e não só para os artistas ficarem aparecendo. E eu acho que o Multishow acabou comprando essa briga".

Tanto comprou que a dupla será responsável pelo evento pelo segundo ano consecutivo, confirmando o a boa resposta do formato. "A nova geração de comediantes é forte e o humor está na moda. Esses caras de stand-up comedy estão conseguindo levar os jovens aos teatros. Isso tudo acaba sendo um reflexo de querer abocanhar esse público da internet, de 12 a 20 anos, que gosta de ver vídeos de humor no Youtube. É um pouco em cima disso que o humor acabou entrando na moda na televisão".

A despeito do vasto conhecimento em relação ao estilo que o tornou famoso, Fábio demonstrou não ter tanto interesse a respeito da premiação roteirizada por ele, da qual pouco sabe sobre os próprios concorrentes. "Os meus artistas favoritos nao costumam estar concorrendo. Nunca tem uma Rita Lee, um Lulu Santos, um Caetano Veloso". Para compensar a leve insatisfação, só com uma unanimidade, cuja presença no evento é sempre garantida. "Eu tenho meu lado Ivete Sangalo, então sempre vou estar torcendo pra ela ganhar".

Nenhum comentário:

Postar um comentário