terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Cantora Maria Gadú lança novo disco com canções inéditas e regravações

Maria Gadú definiu seu segundo álbum de estúdio como “um disco de banda”. Tanto que é possível vê-la com Cesinha (bateria), Fernando Caneca (guitarra e violão tenor), Doga (percussão), Gastão Villeroy (baixo) e Maycon (teclados) na autoria de algumas composições e em lugar de destaque nas fotos do encarte do CD. Em nenhum momento, ela aparece sozinha em Maria Gadú — Mais uma página. Até no material divulgado pela produção — usando a mesma técnica de Chico Buarque, que gravou um vídeo onde revela detalhes do processo de criação — , o sexteto está lá unido.

Com 14 faixas, oito autorais, o disco pede passagem com No pé do vento, que faz referência ao título do CD nos versos “Mais uma página do mesmo livro/Mais uma parte da mesma história”. A música de Gadú com Edu Krieger é uma das quatro parcerias do novo trabalho da cantora paulista, que divide canções com o norte-americano Jesse Harris (Like a rose e Long long time, a segunda também com Maycon Ananias); e Ana Carolina e Chiara Civello (Reis). “Conheço a Ana há muito tempo e ela sempre falava que tínhamos que fazer uma música juntas. Um dia, saindo do show do Paul McCartney, fizemos Reis. Ela nasceu do jeito mais despretensioso possível”, diz Gadú.

Produzido por Rodrigo Vidal, o CD ainda traz músicas do amigo Dani Black (Axé acappella e Linha tênue), as regravações Amor de índio (Ronaldo Bastos/Beto Guedes) e Anjo de guarda noturno (Miltinho Edilberto) e participações especiais. O pernambucano Lenine dá uma canja em Quem?, e A valsa ganha o sotaque luso do cantor Marco Rodrigues e a guitarra portuguesa de José Manoel Neto. “Depois que compus Quem?, lembrei-me na hora do Lenine. Fiz o convite para ele cantar comigo, mas fui muito cara de pau! Tive muita audácia e ele topou!”, conta, rindo.

Presente de Caetano
Já que Mais uma página é um encontro de amigos, Caetano Veloso não poderia ficar de fora. O cantor baiano foi lembrado na sexta faixa do CD, Oração ao tempo. “Gravar essa música foi um convite-presente. Sempre gostei dela e, quando o Jayme Monjardim me chamou para gravá-la, respondi: 'Quero! Quero muito!'. Na verdade, eu gravaria qualquer uma do Caetano", derrete-se Gadú ao falar sobre a canção, tema de abertura da novela A vida da gente (TV Globo).

O compositor de Alegria alegria também está em Estranho natural. A composição da cantora — trilha do filme Teus olhos meus, de Caio Sóh — narra poeticamente o encontro dela com Caetano, que resultou na gravação do CD/DVD Multishow Ao Vivo. “Conto como Caetano é um estranho natural para mim. Ele é um músico que escuto desde quando estava na barriga da minha mãe e de quem, agora, estou muito próxima”, explica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário