domingo, 1 de abril de 2012

Maria Gadú em Mais uma página no Recife

O público delirou com o apagar das luzes e a abertura das cortinas. Mais ainda, com a aparição de Maria Gadú, que subiu ao palco do Teatro da UFPE, na noite do sábado, após meia hora de atraso. Com a casa quase cheia, a cantora iniciou o show em grande estilo. Ao som de Alguém cantando, de Caetano Veloso, uma justa homenagem a artistas que eternizaram suas vozes, como Cássia Éller, Elis Regina, Tom Jobim e Amy Winehouse, através de uma cortina transparente onde se projetava esses e outros nomes da música.

Fotos: Fernanda Guerra

A paulista apresentou o show do recém-lançado álbum Mais uma página. E quem disse que é tão novo assim para o público pernambucano? Boa parte da plateia não hesitava em acompanhar as músicas do novo disco. Para citar algumas, Reis, No Pé do vento e Extranjero. Entre as canções do primeiro, Encontro, Tudo diferente e Linda rosa – todas com roupagens diferentes. Destaque para Axé Acapella, performance na qual a cantora escanteou o jeito tímido e fofo e comprovou a potência vocal.


Após cantar Quem?, Gadú lembrou: “só faltou Lenine” – já que canta com ele no disco. Assim como começou, ela terminou o show cantando Caetano Veloso. Despediu-se com Podres poderes.


Gadú mostrou que continua a mesma ao agradecer. A frase “Brigada, gente”, dita com um carisma só dela, é uma das mais frequentes ao longo de uma hora e meia de show. A timidez permanece, mas de forma disfarçada. A cantora está, de fato, mais madura e à vontade no palco. Fase que os pernambucanos aplaudiram de pé.

Maria Gadú ladeada por Nena Queiroga e Vanessa Oliveira
Após o show, Maria Gadú recebe produtores
O ator Leo Rosa, que assina a direção do clipe Axé Acapella, conferiu o show no Recife
Fonte: JoãoAlberto

Nenhum comentário:

Postar um comentário