segunda-feira, 21 de maio de 2012

Maria Gadú: "Inspiro-me em estar viva"

Correio da Manhã – Escreveu o tema ‘Shimbalaiê’ quando tinha apenas dez anos. A quem o mostrou ou cantou primeiro? 

Maria Gadú – Mostrei o tema primeiro ao meu irmão, que estava comigo!

– Muitas das suas músicas têm um lado bastante introspectivo e ao mesmo tempo funcionam co-mo um espelho do que a rodeia. Em que se inspira para compor?

– Em tudo. Não crio histórias... Vivo-as. Tudo parte daquilo que consigo sentir de verdade, que vivo e vejo. Inspiro-me em estar viva, com a linda oportunidade de colocar para fora tais coisas em forma de músicas.

– Fez vários espectáculos ao lado de Caetano Veloso, chegando mesmo a gravar um CD e um DVD. Qual foi a sensação de actuar ao lado de uma lenda como esta?

– A melhor possível. Caetano é e sempre será um grande ídolo em inúmeras formas. Estar ao seu lado, compartilhar músicas, estrada e vivências foi espectacular e maravilhoso.

– Também tocou com o cantor Eagle-Eye Cherry. Como surgiu essa oportunidade?

– Ele convidou-me para participar no seu DVD, que seria gravado no Rio de Janeiro. Fiquei surpreendida e muito feliz com o convite, já que gosto muito das suas músicas. Foi incrível!

– Escolheu o fadista Marco Rodrigues para fazer a primeira parte dos seus concertos nesta última digressão. Qual a sua ligação com o fado? Porquê Marco Rodrigues?

– Não escolhi Marco Rodrigues. Fui escolhida por ele! A música dele chamou-me de tal forma que quando pensei em gravar ‘A Valsa’ tive a impressão que compus o tema para ser cantado por ele. Ele é encantador. Amo fado. Quem me apresentou a maior parte foi ele e os companheiros do Café Luso, em Lisboa.

– Aparenta ser bastante efusiva e espontânea, com um look alternativo, mas quando canta mostra um lado mais sensível e calmo. Convive bem com os opostos?

– Tenho que conviver bem com tudo que faz parte de mim.

– Esteve recentemente em Portugal. Qual é a sua relação com o nosso país e o nosso público?

– A relação é primordial, até à paixão pela cultura que vim a conhecer quando estive pela primeira vez em Lisboa.

PERFIL
Mayra Corrêa Ayagadoux nasceu há 25 anos em S. Paulo e já é uma das mais elogiadas novas artistas da música brasileira. A sua estreia, num disco homónimo, ocorreu em 2009, e desde aí gravou dois discos ao vivo e foi nomeada para o Grammy latino duas vezes. No ano passado, lançou ‘Mais uma Página’, que agora apresenta ao vivo.
Fonte: CorreiodaManhã

Nenhum comentário:

Postar um comentário